sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Encontros...

Encontros 2010-06-19 005

Querles e Olívio, nossos afilhados de casamento e amigos queridos. Enquanto Olívio empresta sua voz às rádios dos Poderes Legislativo e Judiciário em Brasília, Querles tem enfrentado e vencido várias batalhas no seu tratamento de saúde. O casal comemora o recém conquistado Doutorado da filha Luciana.

É sempre uma alegria encontrar e desfrutar da companhia deles.

Encontros 2010-07-08 002

Miriam e José Afonso são nossos amigos desde 1972. Eu estava grávida do Aurélio quando os conhecemos e, desde então, tiveram suas duas filhas na mesma época que tivemos os nossos. Todos estudaram na mesma Escola (Eseba). Juliana foi colega de sala do Sergio e do Marcelo. São os orgulhosos avós da Elisa e agora dividem os corações entre São Paulo e Porto Alegre, residência das filhas.

Alfredo e Carmen. Não vou precisar há quanto tempo nos conhecemos, mas mostrei para Carmen uma foto de 1965 em que ela está presente, na fazenda dos seus pais, por ocasião de um passeio da nossa turma do Curso de Contabilidade do Liceu. Eu era colega de sala da Marlene sua irmã.

Carmen e Miriam conceituadas e conhecidas artistas plásticas de primeira grandeza.

Que noite agradável e divertida onde não faltou piada e até poesia de cervejeiro!

Nivaldo e Linésia 2010-07-21 002

Linésia e Nivaldo. São bem mais jovens que nós, mas não menos amigos. Em 1994 me apareceram umas microcalcificações na mama. Procurei o Dr. Nivaldo, mastologista, que cuidou de mim. Como o resultado foi benigno, convidamos o casal para irem a nossa casa e comemorarmos o resultado. Eles aceitaram o convite e ganhamos dois presentes. O resultado satisfatório dos exames e a amizade deles. E passamos a fazer parte da vida deles e eles da nossa. Sempre presentes nos momentos importantes das nossas vidas. Eles formam uma linda família. Nivaldo e os dois filhos são praticantes do Motocross. Linésia os acompanha e estimula.

Niver da Alcy 008

Conheci a Regina no Curso de Atualidades do Federal. Em 2003 ou 2004? Meiga, bonita, discreta, educada era companheira na volta para casa à pé. Ela ia comigo pela Av. João Pinheiro até o prédio onde mora e eu continuava sòzinha até minha casa. Não temos como explicar a empatia. Ela acontece. Com a Regina foi assim. Ela deixou de frequentar o Curso, mas não perdemos o laço de afeto que começou lá. Foi um grande prazer recebê-la na minha casa. Mas a conversa estava tão animada,tão agradável, que esqueci de bater foto do nosso Lanche-encontro. Esta foto é de um aniversário da nossa amiga Alcy. Está faltando a foto da Silvinha que também estava presente.

Silvinha é outra querida amiga de infância. Quando me mudei de Goiás para Uberlândia fui morar na Rua dos Pereiras, em frente a casa da Silvinha. Era o ano de 1959. Somos amigas há 51 anos. Que doce amizade. Silvinha disse que havia colocado uma blusa branca, aí pensou: Vou querer tirar uma foto sentada naquele banco da varanda onde tem uma árvore com as casinhas de passarinho. Colocou uma blusa escura, a máquina na bolsa e veio. Conversa vai, conversa vem, assunto interminável, escureceu e fomos levá-la em casa. Ninguém lembrou de foto. Quando entro no meu quarto, a máquina preparada em cima da cômoda. Só fazendo outro lanche para nos fotografarmos. É incrível, mas não tenho foto digital da Silvinha. Estou esperando que ela me envie. Dou um desconto porque ela está ocupada com o neto que nasceu prematuro e ainda está na UTI neonatal se fortalecendo e com as filhas, a mãe do bebê, e as duas que vieram de longe (Peru e Brasilia) conhecer o sobrinho. Quando ela me mandar a foto coloco aqui.

6 comentários:

jafonso disse...

Queridos Delma e Eurípedes,
com muito carinho vimos sua mensagem no Blog. Estamos em São Paulo, curtindo a Lavínia, desde o dia dos Pais, quando a Juliana, a Elisa e o Lucas também vieram de Porto Alegre para comemorarmos todos juntos.
Um grande abraço para vocês,
Mirian e José Afonso

Anônimo disse...

Delma
Senti-me lisonjeada com todo o texto seu.Puxando a minha péssima memória,acho que me lembro de você no Bueno Brandão, isso em 1976, quando substitui a Marlene (geo).Tem base? Mas, no Federal foi que nos aproximamos.Como tem sido bom desfrutar de sua amizade!
Conheci também ,sua irmã, a Terezinha,que simpatia!
Que trem bão mesmo esses encontros!
Grata e um grande abraço
Regina Bernardes

Anônimo disse...

Dilurdis
Esta tal de internet è boa mesmo. Olha quem vejo:o Olívio,não sabia que morava em Brasília.Lembro-me dele no rádio e na televisão.A cidade cresceu, as pessoas sumiram...
Foi bom vê-lo!
Bjs
Regina Bernardes

Anônimo disse...

Achei fofo o q vc falou da nossa amizade e de minha familia.
Obrigada.
Bjs Silvinha.

Anônimo disse...

Regina é a delicadeza em pessoa. É discreta e bela. Sei, e não por ela, de caridade e ajuda às pessoas que ela faz sem alarde.Faz com amor e isso é o que basta. Regina, como costuma-se dizer, veio ao mundo para torná-lo mais feliz. Alcy

Delma disse...

Queridos
Que lindos comentários, massageiam o coração da gente.Bom demais!
Bjs