quinta-feira, 16 de setembro de 2010

O Meu País – Orlando Tejo, Gilvan Chaves e Livardo Alves

Sei que entre as mensagens que recebemos por e-mail, a maioria delas são imprecisas, adulteradas, possuem autorias falsas , ou são completamente mentirosas. Tenho me preocupado muito com isto e pergunto: Quem vai reescrever a História? E essa praga vai se alastrando e passamos a ouvir estas inverdades em vários lugares como em programas de Tv e até na fala dos guias turísticos. Em João Pessoa, os habitantes são muito hospitaleiros e gostam de poesia. O guia que nos conduziu ao City Tour, declamou entusiasmado “O Meu País”. Terminou e disse: Autoria de Patativa do Assaré que há mais de 40 anos já dizia coisas tão atuais.

De volta para casa, fui conferir porque achava que fosse de Zé Ramalho. Também não é. Seus autores são:

Orlando Tejo- Paraibano, Advogado poeta, ensaísta, jornalista, folclorista, professor (autor da Letra)

Gilvan Chaves – Pernambucano, cantor, compositor, violonista. (autor da Letra)

Livardo Alves – Paraibano, jornalista e compositor (autor da música)

Foi gravada em 1994 por Flávio José e em 2000 por Zé Ramalho no Cd Nação Nordestina.

Como se não bastasse, o compositor Livardo Alves, conhecido no cenário brasileiro por várias composições, entre elas a famosa marchinha carnavalesca 'Marcha da Cueca' (Eu mato, eu mato / Quem roubou minha cueca / Pra fazer pano de prato...), foi imortalizado em uma estátua em bronze, em tamanho natural, sentado em um banco de praça de João Pessoa. Como um guia turístico não sabe que aquela estátua pertence a um dos compositores de “O Meu País”, e atribui autoria a Patativa do Assaré?

14082009(001)

Clique e ouça a interpretação de Zé Ramalho

Um comentário:

Francisco Ari disse...

De fato. Na grande maioria, os autores das músicas são "esquecidos" na divulgação de seus trabalhos. Mencionam apenas o intérprete que, fazendo um mal a si mesmo, não dão o crédito ao criador/autor.